Notícia

Setenta novos pesquisadores do INPI são empossados nesta quinta-feira

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin

Nesta quinta-feira, dia 9 de junho de 2016, no Rio de Janeiro, 70 novos pesquisadores em Propriedade Industrial aprovados no concurso público de 2014 tomarão posse no Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI. Segundo dados do órgão, os novos servidores representam um aumento de 36% do quadro atual de 193 examinadores de patentes.

Convocados em maio deste ano, os pesquisadores serão distribuídos entre 20 diferentes cargos:

  • Cinco pesquisadores em processamento de matérias plásticas e substâncias em estado plástico em geral, compostos macromoleculares orgânicos e composições baseadas nestes, e produtos em camadas (p1);
  • Seis pesquisadores em processos químicos industriais, tais como: processos inorgânicos em áreas de vidro, cimento, cerâmica, tratamento de água, fertilizantes, explosivos etc.; equipamentos e engenharia com utilização destes, tais como: filtros e membranas para separação, eletrólise, revestimentos metálicos etc.; generalidades, p.e., fumo, madeira, composições de incêndio, corpos abrasivos, processos de impressão etc.; têxteis, cellulose e papel, corantes e detergentes (p2);
  • Uma pesquisadora farmacotécnica (farmacologia e síntese orgânica) (p3);
  • Cinco pesquisadores na área de alimentos, biologia molecular de plantas e produtos naturais (p4.1, p4.2 e p4.3);
  • Oito pesquisadores nas áreas de cosméticos: química, bioquímica, microbiologia, enzimologia e bioinformática (P5.1, P5.2 e P5.3);
  • Sete pesquisadores em máquinas agrícolas e máquinas e equipamentos para a indústria de alimentos (p6);
  • Três pesquisadores em  petroquímica e processos químicos; indústrias de petróleo, gás e coque; catálise e equipamentos para a indústria química (p7);
  • Dois pesquisadores em edificação, mineração e perfuração do solo (p8);
  • Dois pesquisadores em processamento de sinais, eletrônica digital, eletrônica analógica e engenharia biomédica (p9);
  • Um pesquisador nas áreas de eletrotécnica (aquecimento e iluminação, conectores, resístores, capacitores, indutores, máquinas elétricas,  transformadores, cabos, centelhadores, quadros, conversão de energia) e sistemas de potência (controle, medição de grandezas físicas e eletrônica de potência; mecatrônica) (p10.1);
  • Três pesquisadores nas áreas de investigação ou análise de materiais, geofísica e acústica; medição de grandezas físicas, testes de equilíbrio estático e dinâmico, ótica (p10.2);
  • Um pesquisador nas áreas de telefonia (telefonia fixa e celular), processamento de sinais, eletromagnetismo (radar, ótica, eletromagnetismo), redes digitais, redes óticas, redes analógicas e radiodifusão (p11);
  • Quatro pesquisadores em metalurgia extrativa (hidrometalurgia, pirometalurgia e eletrometalurgia), concentração mineral, beneficiamento, siderurgia: fornos e processos de coqueificação, lingotamento contínuo, vazamento-fundição, processo de redução; materiais, ligas e tratamento térmico; metalurgia do pó e conformação (p12);
  • Dez pesquisadores em transporte (veículos terrestres, ferrovias, aeronáutica, aviação, cosmonáutica, navios, embarcações), máquinas térmicas e de fluxo: motores de combustão; aquecimento, fogões, ventilação, refrigeração, bombas, turbinas, compressors, operações de processamento mecânico (usinagem), máquinas/ferramentas (torno, fresa, plaina), máquinas de elevação e transporte, elementos de máquina (p13);
  • Sete pesquisadores nas áreas de propriedade industrial civil, mecânica, eletricidade, embalagem e agricultura (P14);
  • Cinco pesquisadoras nas áreas de embalagem, impressão e armazenamento (P15).

Espera-se, com a posse dos novos servidores – e outras ações, como a revisão de procedimentos internos e o aprimoramento de sistemas eletrônicos -, a redução do backlog na análise dos pedidos de patentes no Instituto. Ainda segundo informações do órgão, o número de pedidos de patentes no INPI cresceu 51% entre 2005 e 2015.

 

Para mais informações, acesse o site oficial do Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI.

Nossas
Especialidades

Veja nossas principais áreas de atuação