Notícia

POR QUE NFTs PODEM SER TÃO CAROS?

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin

O dicionário britânico Collins escolheu NFT como a palavra do ano 2021. E ela não sai do vocabulário brasileiro…

O país está em 2º lugar no ranking global dos NFTs, atrás apenas da Tailândia.

O levantamento foi feito pelo Statista e aponta que pelo menos cinco milhões de brasileiros já têm um token não fungível (NFT).

O número parece contraditório, ainda mais quando comparamos os dados macroeconômicos com inflação em alta, ameaça de recessão e desemprego, que apesar de apresentar queda, ainda afeta 10,6 milhões de pessoas…

Será que a lei de oferta e demanda consegue explicar o preço dos NFTs?

Nosso advogado associado Pedro Campos pesquisou o tema e dissertou sobre a questão em um artigo que está na próxima edição da revista “Propriedade no Assunto”.

Trata-se de uma reflexão que busca compreender a influência dos Direitos Autorais na precificação de ativos digitais certificados por NFT, abordando conceitos tradicionais da propriedade intelectual, sobretudo acerca da separação entre o Corpo Místico e o Corpo Mecânico da obra. Ele busca analisar a complexa relação entre titularidade e controle sobre bens imateriais.

O artigo explora exemplos que mostram como comprar NFT pode ser um investimento. A comercialização de NFTs gerou cerca de US$ 23 bilhões em 2021, com exemplares batendo a marca de US$ 69 milhões.

Por isso, cada vez mais precisa-se pensar em modelos de negócios que não dependam apenas da exploração de direitos de exclusividade e da imposição de royalties sobre o mercado. Afinal, existe um divórcio entre a titularidade e o controle que parece estabelecer o real valor dos NFTs.

Se você gostaria de conhecer mais argumentos sobre a valorização do NFT, então clique aqui e entre na lista para receber a revista “Propriedade no Assunto”

Forte abraço,

Nossas
Especialidades

Veja nossas principais áreas de atuação